Sobre a necessidade de proceder a uma verificação do plano de controlo da radioatividade da terra em Palomares (Espanha)  

J. H.
Petition is directed to
Petitionsausschuss des Europäischen Parlaments
7 Supporters 7 in Europäische Union
1% from 500 for quorum
  1. Launched 25/02/2020
  2. Collection yet 10 months
  3. Submission
  4. Dialog with recipient
  5. Decision

Dies ist eine Online-Petition of the European Parliament. If you click "sign", you will get forwarded to get registered with the website of of the European Parliament:

Sign

A petição diz respeito ao incidente de Palomares, no qual a aeronave da Força Aérea dos Estados Unidos colidiu em voo sobre a área em 1966, resultando em contaminação por plutónio. A Comissão Europeia concluiu uma missão de verificação na área, em 2010, e concordou que os planos de gestão e vigilância da área eram adequados na altura. Os EUA assinaram um acordo com a Espanha em 2015 para gerir os resíduos radioativos. O peticionário considera que os planos dos EUA para restaurar a área e remover os resíduos radioativos não resultam em proteção ou normas de segurança adequadas. Alega que os planos continuarão a resultar numa elevada concentração de um isótopo perigoso na área. O peticionário alega ainda que os planos especificam uma área total a ser limpa de 28 000 m3, uma redução significativa em relação ao valor anterior, de 50 000 m3, no plano de reabilitação de Palomares (PRP) acordado em 2010. Considera que a descontaminação parcial não é uma solução adequada. O peticionário alega que ainda existe um estigma social e económico na área e que os setores turístico e agrícola são gravemente afetados. Por conseguinte, solicita à CE que supervisione a área de forma independente, para controlar os níveis de radioatividade, e investigue esta questão, em conformidade com o artigo 35.º do Tratado Euratom.

Thank you for your support, J. H.

Not yet a PRO argument.

No CONTRA argument yet.

Help us to strengthen citizen participation. We want your petition to get attention and stay independent.

Donate now